Sunday, November 25, 2007

Um dia de partilha

Hoje estive a dar um testemunho a uns adolescentes sobre a minha experiência/vivência da minha caminhada na Universidade, não só como estudante, mas principalmente como cristão..
Há uma semana a trás pediram-me para dar o testemunho sobre a minha ligação ao SPES e nada mais simples como esta pergunta que me fizeram: "Como é que aqui se alimenta a fraternidade, se cresce na fé e no amor?".
Eu lá arranjei maneira de responder a esta pergunta, mas como não gosto de divagar fui objectivo na resposta... E à medida que ia falando, pedi-lhes que me fossem perguntando o que queriam saber concretamente.
Penso que essa foi a maneira mais clara de lhes responder e não apenas de eles ouvirem o que eu tinha para lhes dizer. Só isso já é alimentar a fraternidade, é crescer com os outros, é ver como os outros respondem às nossas inquietações.
A conversa foi muito agradável e todos os jovens bem dispostos. [Não vou partilhar a conversa porque foi algo que foi surgindo e não algo programado como fazem algumas pessoas, que programam palestras para falar da fé, do amor, da fraternidade. Mas apesar da naturalidade alguma coisa foi pensada...].
No final dei-lhes um papel enrolado, na forma de tentar responder aquela pergunta, contendo estas frases:

Nós somos aquilo que nos identifica genética e culturalmente.
A nossa fé, o nosso amor não provém apenas do acaso, mas da presença de Deus e dos outros nas nossas vidas. Qualquer tipo de amor que em nós habita tem uma Única origem... Nós nunca crescemos no amor, na fé, na fraternidade se estivermos sozinhos, é necessário a comunhão com todos e sentirmo-nos família, como Jesus Cristo nos ensinou.

E agora, tu que lês este post, como consegues responder "aquela" pergunta na tua caminhada? Sei que nem sempre é fácil responder ou pensar sobre as coisas..
Por isso, vamos tentando caminhar acompanhados com aqueles que vão aparecendo nos nossos trilhos, com aqueles que já fazem parte desses caminhos, e claro com a ajuda de Alguém...
Quantas vezes não vale mais estar umas horas à conversa com um amigo(a), do que estar a passear ou fazer outras coisas..?? Já pensas-te o quanto podes crescer nesses "pequenos" momentos?
Os desígnios da vida podem ser complicados.. Mas normalmente somos nós que os complicamos.
Como se costuma dizer "Jesus Cristo escreve direito por linhas tortas", por vezes nós é percebemos que "Ele escreve torto em linhas direitas"..........

O Caminhante


PS- Para os mais distraídos, esta é "mais uma" foto tirada por mim. A Natureza mostra-nos coisas tão belas.., a harmonia das gaivotas, as formas que as nuvens por vezes podem ter...

1 comment:

SeR pEsSoA said...

Crescer na fé e no amor não é mesmo tarefa fácil...

Temos pequenos e grandes rastros do passado que nos acompanham, temos desilusões (com os outros, mas especialmente connosco próprios), temos medos, inseguranças...
Temos, de igual modo, sonhos, que tantas vezes assumimos erradamente como certos. E erramos porque nos esquecemos da fraternidade... Concordo contigo, o nosso crescimento "não provém apenas do acaso, mas da presença de Deus e dos outros nas nossas vidas." Sozinhos até podemos crescer, mas só na fraternidade sentiremos a bênção do AMOR. Partilha, dádiva e recepção, dom...

Tenho crescido tanto no SPES! Sei que somos família, pois rimos, choramos, vivemos juntos. Cuidamos de cada um.
No meu caminho (o nosso) ainda tenho muitos passos a dar. Mas quero - ou melhor - sei que só posso dá-los em fraternidade. Sem fugir. Sem me negar ou querer esconder.

Quem sabe este advento não precise de começar bem dentro do meu coração, lado a lado com alguém e Alguém...?

Beijo da Rita